Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




por A senhora do gatinho, em 03.01.14

Ilhas de Bruma

Hoje faleceu Manuel Medeiros Ferreira, autor de uma das canções que mais gosto, talvez a canção que já ouvi mais vezes em toda a minha vida.
Quando vivia em Lisboa e batia uma saudade de casa, era esta uma das músicas que ouvia e logo me sentia mais próxima.
É uma das "minhas" músicas e penso que de todos os Açorianos, independentemente da ilha de origem.
Hoje os Açores ficaram mais pobres.

http://youtu.be/kpKpyBpcmnQ

lhas de Bruma

Ainda sinto os pés no terreiro
Onde os meus avós bailavam o pezinho
A bela Aurora e a Sapateia
É que nas veias corre-me basalto negro
E na lembrança vulcões e terramotos

Por isso é que eu sou das ilhas de bruma
Onde as gaivotas vão beijar a terra

Se no olhar trago a dolência das ondas
O olhar é a doçura das lagoas
É que trago a ternura das hortênsias
No coração a ardência das caldeiras.

Por isso é que eu sou das ilhas de bruma
Onde as gaivotas vão beijar a terra

É que nas veias corre-me basalto negro
No coração a ardência das caldeiras
O mar imenso me enche a alma
E tenho verde, tanto verde a indicar-me a esperança.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:58



"Espalhou-se logo a notícia de que uma cara nova se passeava pela marginal: uma senhora com o seu gatinho" [adaptado de Tchékhov].

Mais sobre mim

foto do autor