Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




por A senhora do gatinho, em 04.07.14

Post sem título

Levei muito tempo até criar o blogue, ora porque não tinha um nome para lhe dar, ora porque eu e os computadores não temos boas relações, pelo que visualmente nunca estaria a meu gosto (ainda não está!), ora porque me faltariam as ideias. No entanto, decidi avançar. A verdade é que sou uma papa blogues, muitas vezes tive vontade de comentar alguns posts e não o fiz porque não tinha nada meu para mostrar.  Como não gosto de relações unilaterais, acho justo que o autor do post que eu comento, caso queira,  possa conhecer um pouco de mim. Mas esse "um pouco de mim", queria que fosse  a minha parte mais "leve" (e agora  não estou a falar em dietas) e divertida, como a minha paixão pelos gatos, por sapatos, pelos ursinhos da Tous, todas as roupas e objetos espetaculares que descubro, os livros que leio, algumas refeições que preparo…  mas há alturas em que a vida não é leve nem alegre.

Domingo, na hora do jornal das 8, liguei a televisão e acendi o computador. Ia escrever qualquer coisa, mas ouvi a notícia da morte do filho da Judite Sousa e não consegui escrever nada. Nunca vi pessoalmente a Judite Sousa, tão pouco conheci o seu filho. Como não sou mãe, também nunca senti esse amor incondicional que as mães que conheço dizem sentir. No entanto, já  vi de perto mães e pais a chorar a morte dos seus filhos e, infelizmente, sei o que é aos 29 anos perdermos um amigo da mesma idade que nós, aquele com quem mais brincámos na infância, aquele a quem segredámos os amores e desamores da adolescência, aquele que conhecia os nossos projetos para o futuro. Sei o que é, passados 5 anos, pegar instintivamente no telemóvel para contar uma novidade e já não haver ninguém do outro lado. E se a morte de um amigo dói tanto, não quero sequer imaginar o que será a morte de um filho.

Foi um resto de domingo triste, tem sido uma semana triste.

Espero, do fundo do coração, que a mãe Judite Sousa, e todas as mães que perderam filhos, consigam reencontrar um sentido para a vida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:00



"Espalhou-se logo a notícia de que uma cara nova se passeava pela marginal: uma senhora com o seu gatinho" [adaptado de Tchékhov].

Mais sobre mim

foto do autor